Onde a inovação começa?

A inovação começa antes do brainstorm e certamente começa bem antes de você começar a trabalhar ativamente no próximo produto inovador. Ela nasce de ajudar os funcionários a se orgulharem de seu trabalho. Esse empoderamento e a base da propriedade são o verdadeiro caminho para a inovação. Eu trabalhei com empresas que tentam inovar capitalizando a tecnologia emergente.

Realização de longas análises em busca de oportunidades para injetar novas tecnologias na vida das pessoas. Em contraste, um período de tempo que é “apropriado” significa aquele que é longo o suficiente para permitir a verdadeira inovação, que muitas vezes requer uma curva J de investimento, mas curto o suficiente para significar que as pessoas sentem um senso de urgência para entregar e passar por vários ciclos de aprendizagem o mais rápido possível. Eles acreditam que apenas outras pessoas, que todos consideram “pensadores criativos”, são qualificadas para inovar. No final das fases de inovação, o novo produto é transferido para o gerenciamento do ciclo de vida do produto sob a responsabilidade do gerenciamento do produto.

Ocasionalmente, um cientista ou engenheiro pensa em uma maneira de desenvolver uma inovação a partir do resultado inesperado de um projeto R%26D fracassado. Todos têm o potencial de serem inovadores, desde que as organizações ofereçam “um espaço seguro onde as habilidades de descoberta sejam valorizadas e onde perguntas provocativas possam surgir. Eles dizem às equipes que sua inovação não deve custar mais do que uma certa quantia, com base em suposições sobre o tipo de solução que a equipe fornecerá. Acreditamos que, ao adotar duas restrições diferentes, os resultados e as organizações de tempo podem se tornar mais inovadoras.

Não surpreendentemente, então, apenas cerca de 5% das inovações vieram de soluções desenvolvidas sem nenhuma necessidade ou oportunidade específica em mente (“impulso tecnológico”) e cerca de 95% vieram de trabalho direcionado com uma oportunidade ou necessidade de mercado específica em mente (“atração de mercado”). Uma ideia emerge do potencial de inovação, uma construção semelhante a um pensamento, como a nova solução no sentido de um novo produto ou um novo serviço. Eles podem então se dar ao luxo de ser menos restritivos tanto do orçamento quanto do risco das restrições tradicionais, em grande parte porque a imposição clara de restrições de resultado e limite de tempo ajuda a fornecer inovação mais valiosa (o objetivo de uma restrição orçamentária, afinal) e com menor risco. Essa combinação de resultados ambiciosos e restrições de tempo fez com que os participantes produzissem rapidamente protótipos genuinamente inovadores.

Um processo de inovação sempre começa com a busca e a descoberta de potenciais inovadores e a derivação de ideias, que são posteriormente avaliadas. Algumas empresas fazem isso tentando parecer mais inovadoras, explorando as possibilidades de novas tecnologias. Como as pessoas que trabalham em suas equipes de inovação dirão a você, isso é uma notícia muito boa para a inovação genuína. Eles dizem às equipes que sua inovação não deve custar mais do que uma certa quantia, com base em suposições sobre que tipo de solução a equipe entregará ou comunicará à equipe, “não faça nada muito arriscado, especialmente algo que possa canibalizar os negócios existentes.

Isso também inclui um processo prático de inovação de acordo com diferentes fases, que por um lado deixa espaço suficiente para a criatividade, mas também leva ao objetivo de maneira focada.

Cris Lindner
Cris Lindner

Facilitadora de inovação dirigida pelo design. Inventora com foco em design thinking, gamification e tecnologias para o desenvolvimento da inteligência criativa. Designer bacharelada pelo Mackenzie a 20 anos, 10 anos como Neuro Experience Designer, tendo trabalhado com grandes marcas e projetos de diversos segmentos, como Coca-Cola, Globo, Intel, Bradesco e muitas outras. Designer de Ideias e Designer de Futuro, especializada pela USP em Gestão da Inovação, MIT em Design Thinking e MBA em Brading pela Rio Branco.42 anos de história, com muitas aventuras e experiências de uma vida que faz mais sentido dia a dia… Após esses 20 anos ajudando grandes marcas a se conectarem com seus públicos, oriento meus esforços para ajudar pessoas a encontrarem sua verdadeira originalidade, trabalharem seu propósito maior e refinarem sua utilidade … depois de ter dedicado os últimos 10 anos na Innovati, por meio de PD&I, NX e NUX, para conquistar formas mais fáceis de PENSAR e evoluir o poder CRIATIVO humano, traduzido em melhores planos e decisões sobre o que FAZER, ou como AGIR, mas principalmente se conectarem com seu SENTIR e para viverem o seu SER MAIOR. E assim, foi através de uma teoria original epistemológica que pudemos criar o Hack do Insight, tornando a criatividade acessível a todos os perfis de mentes humanas, que precisam principalmente tomar decisões mais rápidas de forma assertiva e ter ideias inovadoras e disruptivas livremente, com confiança e a qualquer momento.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *